Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Início do conteúdo da página

I SIIPS

Publicado: Terça, 05 de Novembro de 2019, 11h46 | Última atualização em Terça, 05 de Novembro de 2019, 19h16

I Seminário de Integração, Inovação e Pesquisa em Suinocultura discute os atuais desafios da área

DSC 0622Um debate importante e atual sobre diversos aspectos da produção e consumo da carne suína foi promovido durante o I Seminário de Integração, Inovação e Pesquisa em Suinocultura, que ocorreu na última quarta-feira, dia 30 de outubro. Realizado pelo Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão em Carne Suína (Nepecs) pelo Grupo de Estudos em Pecuária de Corte (GEPES) do IFSULDEMINAS - Campus Machado, o evento reuniu mais de 160 estudantes dos cursos de Zootecnia, Agronomia, Ciências Biológicas e Ciência e Tecnologia de Alimentos. Também contou com público externo, estudantes do Campus Muzambinho e da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Palestras e mesa-redonda ocorreram no Espaço Sociocultural do campus. Para abrir as atividades, o professor Nikolas Amaral falou sobre a carne suína como opção saudável e sustentável. Durante a palestra, buscou esclarecer que existem alternativas para a suinocultura, como o biodigestor, biofertilizante, uso do gás produzido para gerar energia elétrica, resíduos que geram glicerina para fazer sabão. “A suíno é autosustentável, produz carne, gordura e dejetos que geram dinheiro e deixam de poluir”, disse.

Em seguida, a professora Letícia Amaral, falou sobre os desafios para obter uma carne suína de qualidade. Ela apresentou dados sobre a emissão de gases e consumo de água na produção da carne suína consumida pelos americanos. “O principais responsáveis pelas emissões de gases na alimentação dos americanos são a carne bovina, frango, vegetais, peixes e frutos do mar. A carne suína nem entrou, inclusive se a eliminarmos da alimentação, vamos aumentar de 6 a 8 % o impacto ambiental da emissão de gases”, explicou. 

No período da tarde, o evento trouxe dois palestrantes externos à instituição, um da iniciativa privada e outro da da Universidade Estadual de São Paulo (USP). “Abate de suínos pesados: impactos sobre a lucratividade” foi o tema da palestra ministrada pelo professor César Garbossa, da USP. Logo após, Hebert Silveira, profissional da Agroceres Multimix falou sobre "Redução do uso de antimicrobianos na suinocultura e segurança alimentar".

DSC 0620Para encerrar o evento, uma mesa-redonda reuniu todos os palestrantes. O estudante Samuel José Mendonça Marral, do curso de Medicina Veterinária do Campus Muzambinho, contou que a palestra “Carne suína uma opção saudável e sustentável” desmistificou vários dúvidas do consumidor final sobre o consumo da carne suína. “Além disso, a palestra falou sobre os problemas ambientais que geralmente são empregados na suinocultura, como mitigar esses problemas e gerar sustentabilidade no sistema de produção”.

Avaliação do evento

O professor Nikolas considerou o Simpósio excelente em todos os sentidos. “Superou e muito as nossas expectativas, foi muito bom, primeiramente, pensando na questão da organização, é importante valorizarmos os meninos dos grupos de estudos que tomaram a frente do evento, tanto com a iniciativa de realizá-lo, quanto na idealização e na programação”, contou. 

Os estudantes conseguiram patrocínio de empresas. Segundo contou o professor, o envolvimento dos integrantes dos grupos de estudos têm sido ponto de partida para a realização de eventos exclusivos de cada área da produção animal. "Isso é muito importante, eu também recebi diversas mensagens de empresas aqui da região, de produtores, do pessoal que participa da cadeia de produção de suínos, elogiando a iniciativa, a oportunidade de participar de um evento desse na região, o que realmente faz falta”. 

WhatsApp Image 2019 11 04 at 13.59.56Caroline Beatriz de Sousa Faria formou-se em Zootecnia no Campus Machado e fez parte do GEPES. Hoje é ela é aluna do Mestrado em Zootecnia da UFLA e veio prestigiar o evento. "Eu gostei bastante porque eles entraram em temas bem atuais, por exemplo a parte de antibióticos que tem diminuído cada vez mais, porque o mercado tem exigido. A parte que eles comentaram sobre animais pesados também é bem atual e está trazendo muitos benefícios para a suinocultura. Foi só elogios para o evento, de todos que estavam por lá. Tomara que tenham mais exemplos como esse, porque traz muita informação”, disse.

Envolvimento dos alunos na organização 

O estudante Ulysses da Silva Nunes, do 6º período de Ciência e Tecnologia de Alimentos, é um dos idealizadores do evento e explicou que tudo começou a partir da iniciativa de alguns membros do NEPECS, no qual é coordenador estudantil, e também do GEPES. “Nosso principal desafio foi conseguir verba para que o evento pudesse acontecer, por conta dessa crise que ocorre nas instituições federais de ensino. Procuramos comerciantes de Machado e de outras cidades para fazer o melhor pelo evento. Foi uma grande experiência, a gente pegou uma equipe muito boa, todo mundo trabalhou em sincronia. E o que eu deixo como dica para os outros alunos é que quando tiver oportunidade pra organizar um evento, participem que é muito bom. É uma experiência totalmente diferente do nosso cotidiano da faculdade, é muito bom mesmo”, contou.

 “Participar da organização de um evento é muito gratificante, pois você pode acompanhar toda a trajetória dele, da idealização à realização. É preciso ter determinação e organização para que saia tudo como planejado e os participantes tenham um evento de qualidade. Você aprende a trabalhar em equipe, a liderar, a se comunicar com os colegas e com o público  e o sentimento realização que vem depois que tudo dá certo é indescritível”, comentou a estudante Dayse Pereira Machado, do curso de Zootecnia, que também integrou a organização.

Texto e Fotos: Ascom/ IFSULDEMINAS - Campus Machado

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página