Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Workshop - Polo Embrapii
Início do conteúdo da página

Workshop - Polo Embrapii

Publicado: Quarta, 17 de Abril de 2019, 08h48 | Última atualização em Quinta, 02 de Mai de 2019, 14h54

Workshop sobre inovação na cafeicultura reuniu cerca de 250 pessoas no Centro de Excelência do Café

DSC 0790O Centro de Excelência do Café do Campus Machado recebeu nesta terça-feira, 16 de abril, cerca de 250 pessoas para o Workshop "Inovando a Cafeicultura - Startup Makers". O evento é uma iniciativa do Polo EMBRAPII IFSULDEMINAS - Agroindústria do Café e teve como objetivos principais: debater os problemas enfrentados pelos cafeicultores da região, proporcionar espaços de diálogo entre as cooperativas, estudantes, professores e profissionais da área, de forma a proporem soluções inovadoras para o setor. Além disso, também propiciou aos participantes contato com a cultura maker , estimulando a formação de equipes para o desenvolvimento de projetos e startups na área da cafeicultura.

DSC 0814O diretor-geral do Campus Machado, professor Carlos Henrique Rodrigues Reinato, deu boas-vindas a todos os participantes e parabenizou a equipe envolvida na organização do evento. Ele também ressaltou que o Polo pertence ao Instituto Federal do Sul de Minas e trabalha junto com o Campus Machado, com a Coordenação de Pesquisa e demais docentes envolvidos com a área da cafeicultura.  "A missão do polo é, principalmente, gerar inovação e trazer tecnologias para o setor privado. É de fundamental importância trabalhar as relações público-privadas e oferecer soluções que serão aplicadas no mundo da Cafeicultura. Nós disponibilizamos profissionais, professores, alunos, recursos e a parceria com a EMBRAPII. Sintam-se à vontade nesse espaço público, onde realizamos diversos eventos, mas que está sendo ocupado com mais intensidade pelo Polo", disse.  

Para representar o reitor do IFSULDEMINAS, professor Marcelo Bregagnoli, esteve presente a pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, professora Sindynara Ferreira, que agradeceu ao diretor do Campus Machado pela parceria com a Reitoria. Destacou também o apoio ao Polo, tanto na realização do evento quanto na cessão do Centro de Excelência do Café, para seu funcionamento.

Ao se dirigir aos participantes, a pró-reitora destacou o papel da inovação no cenário atual. "Hoje tudo envolve inovação. Então, nós em uma imersão, vendo os problemas da cafeicultura, quem sabe consigamos levar essa inovação e novos projetos aos cafeicultores, associações e cooperativas para facilitar um ramo, que muitas vezes é dificultado por fatores internos e externos". Ela também comentou que, por  Minas Gerais ser o maior estado produtor de café e o sul de Minas com expressão ainda maior, a instituição quer investir em eventos como este, para tentar fazer essa imersão dos docentes e servidores no mundo do trabalho, voltado para a cafeicultura.

Ciclo de palestras

A programação do evento contou com diversas atividades ao longo do dia. Cada uma delas de uma perspectiva diferente, de forma a atender os diferentes participantes: estudantes, professores pesquisadores, empresas parceiras, cooperativas e profissionais da área da cafeicultura.    

Para abrir o ciclo de palestras, o diretor-geral do Polo EMBRAPII, professor Leandro Paiva, apresentou a estrutura e a forma de atuação do Polo. Explicou como funcionam as parcerias estabelecidas com as empresas e a atuação dos professores e estudantes nos projetos. Também mencionou o quanto o Brasil está atrasado na questão da inovação.

Em seguida, o professor  Mosar Faria Botelho, pesquisador do Polo EMBRAPII e lotado no Campus Inconfidentes, ministrou a palestra "Ser pesquisador do Polo EMBRAPII ". Ele comentou a importância dos alunos proporem ideias que possam solucionar os problemas do mercado de trabalho. Na sequência, o aluno Nikolas Araújo falou sobre sua experiência como discente pesquisador do Polo e sobre sua participação no Núcleo de Estudos em Qualidade do Café (Nequali), enfatizando o quanto aprendeu com essas experiências.  Ele aconselhou os estudantes a participarem de grupos de estudos, para que possam adquirir mais conhecimentos na área. Para encerrar as atividades da manhã, Rodrigo Mira, representante da empresa CAMPOTECH, compartilhou sua experiência como parceiro do Polo EMBRAPII. 

Roda de Conversa 

DSC 0956No período da tarde, uma roda de conversa com diversas cooperativas da região debateu os problemas da cafeicultura.  Participaram da discussão, o Engenheiro Agrônomo da Cooperativa Agrária de Machado (Coopama), José Lourenço Pinheiro, o coordenador de Desenvolvimento Técnico da Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), Mário Ferraz;  o diretor da Cooperativa dos Agricultores Familiares de Poço Fundo (Coopfam), José Henrique Pereira; o gerente do Departamento Técnico da Cooperativa Mista Agropecuária de Paraguaçu (Coomap), Rogério Araújo Pereira;  a coordenadora de Marketing da Cooperativa dos Cafeicultores de Três Pontas (Cocatrel), Carolina Veloso.

A roda de conversa foi mediada pela diretora de Negócios e Planejamento do Polo EMBRAPII, professora Dulcimara Carvalho Nannetti. Os participantes da discussão expuseram as dificuldades da cafeicultura, a partir da perspectiva de suas cooperativas. Falaram sobre problemas com declividade dos terrenos para operação de máquinas agrícolas, colheita e pós-colheita, pulverização de produtos químicos, seca no terreiro, dentre outras demandas.  Após a exposição, o estudante e pesquisador do Polo EMBRAPII orientado pelo professor Mosar Faria Botelho, Michel Terra, participou da roda, relatando algumas experiências, como o desenvolvimento de drones para aplicações em baixo volume. O estudante comentou que no Campus Inconfidentes, eles já trabalham com esse tipo de recurso no laboratório.

DSC 0954Segundo a mediadora da mesa, professora Dulcimara, "todos gostaram muito e agradeceram o espaço para discutir os problemas vivenciados no cotidiano. Pediram o contato mais próximo com o Polo para discutir possíveis soluções para esses problemas", comentou.

O evento foi encerrado com a apresentação do programa “Avança Café: criação de Startups para a cafeicultura”, promovido por meio da parceria Universidade Federal de Lavras (UFLA)/EMBRAPA, pelo consultor Renan Campos, que também conduziu um Workshop de Ideação e Modelagem dos Negócios, junto ao professor Pedro Luiz Costa, coordenador de Pesquisa do Campus Machado.

O diretor-geral do Polo, professor Leandro Paiva, avaliou o evento de forma positiva. "A concepção foi atingir, principalmente, os alunos, ponto principal de nossos trabalhos, e o que se viu foi exatamente isso, muitos alunos envolvidos, e com um plus: a maioria de outros campi. As palestras também superaram as expectativas com relação às novidades que trouxeram. Foram pesquisadores se dirigindo a professores pesquisadores, alunos se dirigindo a alunos, empresas mostrando suas experiências em eventos similares", comentou.

Perspectiva dos participantes

João Francisco Malaquias, professor do Campus Avançado Três Corações, participou do Workshop acompanhado de estudantes do curso de Mecânica. "É uma grande satisfação trazer os alunos para descobrir uma nova maneira de empregabilidade. O Polo EMBRAPII está criando oportunidades, não só para nossos alunos, mas também para as empresas que poderão contar com apoio de pesquisadores. É uma grande dificuldade ter uma pessoa disponível para apoiar suas ideias", comentou.

O professor Ivan Caixeta, do Campus Machado, também acompanhou o Workshop. Para ele, o Brasil está muito atrasado na questão da inovação tecnológica e da participação de discentes, docentes e pesquisadores neste processo.  "Vejo isso como um primeiro passo para despertar alunos, pesquisadores e profissionais para essa área tão carente do país, principalmente na cafeicultura, onde passamos por grandes dificuldades e crises nos preços, sendo importante para redução dos custos de produção". Ele comentou que o Campus tem feito esforços para que os alunos e professores da área se envolvam mais com a questão da inovação.

O estudante Felipe Eduardo, do Campus Muzambinho, enxerga a importância de buscar mais informações e participar de grupos de estudos para entender a realidade do produtor. "Como estamos muito atrasados, é necessário buscar esse tipo de Workshop para ajudar a compreender os processos de inovação, levar isso para pesquisa e, posteriormente, para o produtor", comentou.

Frederico Gonçalves Martins é produtor de café orgânico na cidade de Lambari. Ele é egresso do Campus Inconfidentes e esteve, pela primeira vez, em um evento do Campus Machado. "Tivemos a felicidade de concluir e estruturar um Núcleo de Certificação Orgânica, por meio do Sistema Participativo de Garantia (SPG). Esse evento é importante para apresentar a questão das startups, para facilitar as vendas, o manejo e o contato do produtor com quem ele precisa. Tenho certeza de que levarei informações importantes para o pessoal do meu Núcleo", disse.

O professor Francisco Felipe é coordenador do Escritório Local de Inovação e Transferência de Tecnologia (ELITT) do Campus Inconfidentes. Ele também atua no Grupo de Robótica, Tecnologia e Automação e já tem experiência com a cultura maker. "Vejo o evento com um grande potencial, por poder identificar problemas relacionados à indústria do café. Como o papel dos nossos campi é propor soluções tecnológicas, é muito legal trocar experiências, leva-as aos nossos alunos e socializar os problemas relacionados à cafeicultura. Quem sabe termos algumas startups surgindo na nossa incubadora institucional e que possamos preparar os nossos alunos, não apenas  para serem empregados, mas também para serem empregadores", comentou.

Texto e Fotos: Ascom/ IFSULDEMINAS - Campus Machado

registrado em:
Fim do conteúdo da página